Seriestvmp3's Blog

setembro 6, 2009

JEAN MICHEL JARRE – Discografia

Filed under: JEAN MICHEL JARRE - Discografia — seriestvmp3 @ 2:50 pm
Jean Michel Jarre vem de uma família voltada para a música. Seu avô, André Jarre, era oboísta (ou seja, tocava oboé, um instrumento de sopro), engenheiro musical e, após a Segunda Grande Guerra Mundial, um dos inventores da mesa de som, da pick-up musical das rádios na França reconstruída do pós-guerra. Seu pai, Maurice Jarre, é um dos principais compositores de trilhas sonoras do cinema contemporâneo, ganhador de dois Oscars por melhor trilha sonora, além de outros prêmios resultantes de seu trabalho. Maurice era o compositor favorito do conceituado cineasta inglês David Lean, tendo composto a trilha sonora dos seus seguintes filmes: Lawrence da Arábia, Dr. Jivago e A Filha de Ryan (o Tema de Lara, de Dr. Jivago, é bastante conhecido na interpretação do pianista Richard Clayderman, outro músico francês muito conhecido no mundo inteiro). Depois disso, compôs para o filme Atração Fatal e, nos anos 90, para os longas-metragens Sem Saída, Sociedade dos Poetas Mortos, Ghost, entre outros. Sua mãe, France Péjot, foi integrante, militante da resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial, tendo sido deportada para Ravensbruck em 1945, de onde escapou, voltando à França em cima de um trem.

No documentário Making the Steamroller Fly (Fazendo o Rolo Compressor Voar), de 1997, Jarre e France Péjot, sua mãe, contam:

Jarre: “Minha mãe era da resistência e fez muitas coisas boas na guerra. Ela nunca explicou muito. Ela foi presa três vezes pelos alemães na cadeia, na França, antes de ir para um campo de concentração [em Ravensbruck].”

France Pejot: “Jean-Michel sempre me pergunta sobre a guerra, mas raramente falamos. Mas é como um novelo e aí começa-se a falar sobre isso. Jean-Michel sempre se interessa pelas minhas experiências, porque elas parecem um romance.”

Jean Michel André Jarre (este é seu nome completo) nasceu em 24 de agosto de 1948 em Lyon. Quando Jarre estava com 7 anos de idade, seus pais divorciaram-se (de acordo com a biografia do site JarreNet foi quando ele tinha 7 anos, entretanto os sites PlanetJarre e JarreFan informam que foi em 1953, portanto, quando ele tinha 5 anos) – mesmo antes do divórcio de seus genitores, Jarre não havia convivido bastante com o pai, Maurice, devido aos constantes compromissos deste com o trabalho, ou seja, ele foi o típico pai ausente – e seu pai mudou-se definitivamente para os Estados Unidos, onde se casou novamente e teve uma filha americana, de nome Stéphanie Jarre (isto é, irmã paterna de Jean-Michel). Depois disso, Jarre cresceu sozinho com a mãe, vivendo em Issy-les-Moulineaux (outras fontes informam que os dois mudaram para a capital francesa, Paris). Resumindo, Jarre passa a ser criado apenas por France Péjot, sua mãe.

Até completar 8 anos de idade, Jean-Michel passava 6 meses por ano no apartamento dos avós, em Lyon. Em Making the Steamroller Fly ele conta, em Lyon:

“Estamos aqui em Lyon, num lugar chamado ‘Cour de Verdin’, do lado oposto à estação de trem. Era aqui que eu passava seis meses por ano nos meus primeiros oito anos de vida. Aqui era o apartamento dos meus avós. E, para mim, foi aqui que tudo começou, essencialmente. Minha outra ligação com este lugar é provavelmente a música circense deste tipo de banda de rua, acordeões, todos esses tipos de instrumentos de rua que, creio eu, me deram a idéia de um dia tentar expressar a música ao ar livre.”

Em outro momento deste mesmo documentário, andando por Moscou, na Rússia, ele fala sobre a vista que tinha do apartamento de seus avós, seus gostos e suas influências, enquanto observa um parque de diversões:

“Esta terra é cheia de tecnologia, mas do tipo retro-futurista, o que eu gosto muito. Lembro-me quando olhava pelas janelas do apartamento dos meus avós, onde estes parquinhos eram montados todos os anos. Estas pessoas são verdadeiros artistas de rua, quero dizer, dá para cheirar a atividade, é cheia de odores, de cores, cheia de luzes e de sons, uma determinada música e todos os tipos de estranhas e extremamente românticas atitudes ciganas de se aproximar da vida. E creio que meu trabalho foi bastante influenciado pela vida do circo ou do parquinho.”

DISCOGRAFIA

1971 - Aor excerpts 
1971 - La Cage - Eros Machine - single
1972 - Deserted Palace
1972 - Freedom Day - Synthetic Man - single
1972 - Pop Corn Orchestra - single
1972 - Viens Avec Nous - single
1973 - Hypnose
1973 - Les Granges Brulees
1974 - Cartolina - Helza
1975 - With Gerard Lenorman
1976 - Oxygene
1978 - Equinoxe
1981 - Magnetic Fields
1982 - The Concerts in China
1983 - Music For Supermarkets
1983 - Musik Aus Zeit Und Raum
1984 - Zoolook
1986 - Randez-Vous
1987 - In Concert Houston-Lyon
1988 - Revolutions
1989 - Destination Docklands
1990 - En Attendant Cousteau
1991 - Images
1993 - Chronologie
1994 - Hong Kong Live
1995 - Jarremix
1997 - Oxygene 7-13
1998 - Odyssey Through Oxygene
2000 - Metamorphoses
2000 - Sessions
2001 - Interior Music
2003 - Geometry of Love
2004 - Aero - DTS.part1.rar
2004 - Aero - DTS.part2.rar
2006 - The Symphonic
2007 - T o T a.part1.rar
2007 - T o T a.part2.rar

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: